Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

HISTORIAR N

«Para suportar a sua própria história, cada um acrescenta-lhe um pouco de lenda.» Marcel Jouhandeau

HISTORIAR N

«Para suportar a sua própria história, cada um acrescenta-lhe um pouco de lenda.» Marcel Jouhandeau

EFEMÉRIDE

 

No dia 8 de Julho de 1940, Aristides de Sousa Mendes regressou a Portugal por ordem de Salazar. Para trás ficara um período de desobediência e afrontamento à ditadura por cá instalada, marcado pela emissão de  milhares de vistos concedidos a todos os que o procuravam para abandonar França fugindo à perseguição nazi. Muitos eram judeus, outros não. Consciente da sua atitude e não temendo as consequências terá afirmado:

“ Quando é preciso desobedecer, mais vale desobedecer às ordens dos homens que às ordens de Deus.”

 O resultado foi o esperado.  Compulsivamente reformado e impedido, pela ditadura,  de exercer a advocacia, Aristides de Sousa Mendes, sobreviveu a custo, e à custa da ajuda dos amigos e da comunidade Judaica estabelecida em Portugal. Cinicamente, terminada a guerra com a vitória dos aliados, Salazar felicitou-o pelas muitas vidas que tinha salvado, recusando-se no entanto -se a reintegrá-lo na carreira Diplomática. Foi o nosso Oskar Shindler, a uma escala diferente,  pois foi muito maior o número de judeus que o  Cônsul português salvou do Holocausto e da barbárie nazi.