Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

HISTORIAR N

«Para suportar a sua própria história, cada um acrescenta-lhe um pouco de lenda.» Marcel Jouhandeau

HISTORIAR N

«Para suportar a sua própria história, cada um acrescenta-lhe um pouco de lenda.» Marcel Jouhandeau

EFEMÈRIDE

 

 
No dia 10 de Junho de 1580, morreu o poeta português Luís Vaz de Camões, autor de “ Os Lusíadas “, e de uma série de outros escritos menos Gongóricos e Homéricos, mas bem mais belos, criativos e originais
Triste e mortiço é o povo que encontra na morte de um poeta sebastianista e nostalgico, que prenunciava já a nossa irremediável decadência, o pretexto para celebrar o seu dia nacional.
Tolo é o povo que ao celebrar o dia, esquece a data, o ano, em que Portugal de braços semi-abertos, devastado pelas traquinices de um rei tão idiota como megalómeno e irresponsável, esperava por Filipe de Espanha e por melhores dias. A Independência ou melhor a sua perda, era, lamento muito, uma questão menor, para a maior parte da população. E menor ainda  para a a gente que mandava neste país. 
Celebrar o 10 de Junho, não o 10 de Junho de um ano qualquer, mas o 10 de Junho de 1580, como o " Dia de Portugal ", que já foi da " Raça " e de outras coisas, é não ter vengonha na cara.
Uma das mais tristes e patéticas adulterações de que a nossa História oficial é fértil. E de longe a que faz menos sentido.

Não bastava o 1º de Dezembro...